No artigo de hoje vai saber 100 mil visualizações no youtube ganha quanto, no nosso guia completo.

O YouTube é a plataforma de streaming mais visitada do mundo. O site também é o segundo site mais visitado, atrás apenas do Google.

Sem criadores de conteúdo, a web não seria nada e, graças à publicidade, qualquer pessoa que faça upload de vídeos pode ganhar dinheiro no YouTube.

O quanto você ganha com o conteúdo do YouTube depende de muitos fatores, incluindo o idioma do conteúdo ou o tipo de público em que os anunciantes podem estar interessados.

Um vídeo voltado para crianças, que não vão comprar o que veem, não é o mesmo que vídeos de corretoras onde se entende que o público-alvo tem alto poder aquisitivo.

100 mil visualizações no youtube ganha quanto

100 mil visualizações no youtube ganha quanto
100 mil visualizações no youtube ganha quanto

Embora existam várias maneiras de ganhar dinheiro indiretamente no YouTube, 100 mil visualizações no youtube ganha quanto, 100.000 visualizações: entre US$ 500 e US$ 2.500

Aqui o número de youtubers é bastante limitado, onde as finanças continuam a ser um fator chave. 

Ruby Asabor percebeu que seus vídeos relacionados a finanças e negócios eram mais amigáveis ​​para anunciantes porque atraíam bancos ou corretoras, que atraíam um público mais abastado, e em um tópico em que não há muitos vídeos para monetizar porque nem todo mundo faz vídeos como este.

Na pergunta aos youtubers com centenas de milhares de inscritos, eles responderam que para cada 100.000 visualizações ganhavam entre 500 e 1.000 dólares (Natalie Barbu com 271.000 inscritos em um canal lifestyle), 800 e 1.500 dólares (Roberto Blake com 442.000 inscritos com um canal de tecnologia)

US$ 1.300 e US$ 1.500 (Marko Zlatic com 343.000 assinantes em um canal de finanças pessoais) e até US$ 2.200 e US$ 2.500 no caso de Ruby Asabor em seu canal de finanças e negócios.

1 milhão de visualizações: entre US$ 2.000 e até US$ 40.000

Aqui os números variam muito, onde Shelby Crunch, com 1,4 milhão de inscritos, ganha entre 2.000 e 5.000 dólares por cada milhão em seu canal. 

Austen Alexander, com 310.000 assinantes, ganha cerca de US$ 6.000. Marina Mogilko, com 1 milhão de assinantes, fatura cerca de US$ 10.000. Kevin David, com um canal dedicado novamente ao financiamento que começou a gravar com a webcam de seu laptop, gera cerca de 40.000 dólares por cada milhão de visualizações.

Estes criadores afirmam ainda que fazem vídeos de mais de 10 minutos para poder colocar mais anúncios, uma técnica muito difundida na plataforma e à qual cada vez mais utilizadores recorrem para aumentar a sua visibilidade e também os seus lucros. 

Embora o que é cobrado dependa muito de fatores como o assunto, quanto mais audiência, mais você pode ganhar pelo conteúdo criado, daí a importância de publicar com mais frequência e anúncios mais elaborados por mais tempo.

Espanha não é igual aos Estados Unidos

Nas figuras acima temos que levar em conta o efeito do fato de que um vídeo em inglês pode atingir um público muito maior, enquanto um em outro idioma tem mais dificuldade.

O inglês é o idioma mais falado no mundo e um canal que usa esse idioma como idioma principal pode ter visualizações de praticamente qualquer país. 

Em espanhol, no entanto, o número de visualizações provenientes de fora dos países de língua espanhola será menor, o que limita o alcance. 

Os anunciantes geralmente valorizam ter o máximo de alcance possível e, embora o conteúdo segmentado por país ofereça um melhor relacionamento com as marcas, ele também tem um efeito direto no Google AdSense.

Fatores que influenciam quanto dinheiro o YouTube paga

Quando se trata de ganhar dinheiro com o YouTube, há muitos fatores que influenciam e afetam diretamente o número de receitas que um criador de conteúdo recebe. Esses fatores incluem principalmente:

  • Presença no “Programa de Parceiros” do YouTube: antes de mais nada, para ganhar dinheiro com o YouTube, especificamente no Google AdSense, é essencial ter sido aceito no programa de parceiros da plataforma, cumprindo as condições exigidas. 
  • País de origem do canal do YouTube e idioma do vídeo: Canais com vídeos em inglês terão mais visualizações, portanto a monetização por alcance será maior. Além disso, a comissão percentual que o YouTube paga aos criadores pode variar dependendo do país de origem.
  • Número de inscritos do canal:  os canais com maior número de inscritos gerarão, portanto, um número médio de visualizações por vídeo maior e, portanto, maior receita. 
  • Nicho de conteúdo: existem certos tópicos que alcançam maior sucesso e popularidade no YouTube, aumentando seu potencial de geração de renda quanto mais visualizações tiverem. Por exemplo, muitos criadores rotulam seus vídeos com o tema “educacional” ou “comercial”, pois esses são tópicos em que o público concentra sua maior atenção. 
  • Público-alvo: nem todos os públicos resultam nos mesmos níveis de alcance. Por exemplo, os interesses dos anunciantes em um canal que costuma ser assistido por adultos sempre estarão acima daqueles recebidos pelo conteúdo que aparece na seção de vídeos para crianças. 
  • Número de visualizações completas e cliques nos anúncios e na publicidade inserida nos vídeos.
  • Número de anúncios que o vídeo contém.
  • Duração do vídeo: vídeos com mais de 10 minutos permitem que mais anúncios sejam introduzidos, por isso a técnica de alongamento de conteúdo é difundida na plataforma.
  • Porcentagem líquida que o YouTube dá aos criadores: o YouTube dá aos criadores de conteúdo 68% de seus ganhos.
  • Conformidade com os termos e condições de monetização: assim como o YouTube pode pagar para você gerar conteúdo dentro de sua plataforma, também pode tomar a decisão a qualquer momento de desmonetizar vídeos que violem os regulamentos estabelecidos nos termos e condições do programa de afiliados. 

Mesmo em situações de ofensas e violações mais graves e extremas, o YouTube chegou ao ponto de desmonetizar o conteúdo de canais inteiros. 

Se você estiver interessado em ganhar dinheiro com o YouTube, certifique-se de estudar atentamente todas as suas leis e condições para nunca passar por cima delas. 

Quanto dinheiro o YouTube paga com cada reprodução

Como mencionamos anteriormente, o valor monetário que o YouTube paga a seus criadores está sujeito a alterações dependendo do país de origem do canal, entre outros aspectos. 

No entanto, pelo menos na Espanha, o dado que realmente importa é o CPM (custo por mil), ou seja, o custo por mil impressões estabelecido pelos anunciantes.