O cachorro é o animal de estimação mais famoso e preferido por muitos. Seu senso de lealdade e companheirismo são marcantes. Muitos alegram a casa e são excelentes para o desenvolvimento das crianças que crescem neste lar.

Deste modo, o cachorro, muitas vezes, é visto como um membro da família. Como possui uma expectativa de vida bem inferior a dos seres humanos, é frequente que em algum momento os donos tenham que lidar com a morte do cãozinho.

Este momento é especialmente doloroso para as crianças que estiveram na companhia do animal nos primeiros anos de vida.

Mas será que o cachorro sente alguma coisa antes de morrer? Ele se despede?

Cachorro se despede antes de morrer

Cachorro se despede antes de morrer
Cachorro se despede antes de morrer

Algumas horas antes da morte, a respiração do cão poderá se tornar curta e com grande quantidade de intervalos. A nível de esclarecimento, é importante saber que uma respiração normal em condições de repouso é de 22 movimentos por minuto- valor que poderá cair para 10, momentos antes do óbito.

Ainda dentro do tópico respiração, nos momentos imediatos antes da morte, o cão exala profundamente (esvaziando-se tal como um balão).

A mudança no ritmo cardíaco também é um indicador imprescindível. Em condições normais, a média é de 100 a 130 batimentos por minuto. Antes da morte, esta média é reduzida para 60 a 80 batimentos por minuto- os quais são acompanhados por uma pulsação fraquíssima.

Em relação aos sinais digestivos, é comum observar uma diminuição ou perda do apetite (a qual poderá se manifestar em dias ou até semanas antes da morte). A perda na vontade de beber água também é observada. Dentro deste contexto, também é possível notar boca seca e desidratada; bem como vômito.

O vômito próximo à morte não contém nenhuma comida, mas espuma e um pouco de ácido nas cores amarelão ou verde (devido à bile).

A perda do apetite resulta em perda de glicose e, com isso, os músculos enfraquecem e perdem a reação à dor. Tais músculos também começam a gerar torções e espasmos involuntários. É possível notar uma aparência atrofiada, bem com um cambaleio ao andar.

É comum que próximo à morte o cão perca o controle sobre os seus esfíncteres e sobre a bexiga (podendo defecar e urinar sem controle). Próximo à morte, geralmente poderá eliminar uma diarreia líquida com odor forte e cor de sangue.

A condição da pele e das mucosas também se altera. A pele fica mais seca e não retorna ao local original, após ser puxada.  As mucosas das gengivas e lábios ficam mais pálidas.

Depois de conhecer um pouco mais sobre o comportamento canino antes da morte, assim como sinais fisiológicos deste período; nossa equipe o convida a continuar conosco para visitar também outros artigos do site.

Como os Cães Reagem Após a Morte do Dono? Eles Sentem Saudade ou Luto?

No momento da morte do seu dono ou de um outro cachorro que seja seu ‘amigo’, o cão tende a ficar muito próximo do corpo do moribundo- muitas vezes não deixando com que estranhos aproximem-se.

De acordo com estudos, após a morte do dono, o cão sente uma diferença em sua rotina. Essa diferença é tida como a sensação de que algo está faltando- todavia, não há precisão sobre aquilo que falta. Mesmo assim, o cão pode ficar cabisbaixo ou triste, e muitas vezes é influenciado pela reação de dor emocional dos familiares.

Uma dica para ajudar os cães a lidar com a morte de seus donos ou outros animais da casa é aumentando a sua atividade física e mental, de modo que redirecione a sua energia.

Situações novas e empolgantes na rotina (tais como passeios, brincadeiras e até mesmo interação com outros cães) poderão ajuda-lo a lidar com a ‘sensação’ de falta.

Cachorro se Despede Antes de Morrer? O que Eles Sentem?

Da mesma forma que ocorre com animais que vivem em bando (tal como os elefantes), cães percebem quando estão fracos e precisam de um local para descansar. Este é um comportamento natural, instintivo e automático.

De acordo com relatos, alguns cães podem se isolar ao antes da chegada a morte. Outros, todavia, podem ficar mais grudentos e carinhosos do que o habitual.

Cães São Capazes de Detectar Emoções Humanas?

A resposta é sim. Cães percebem quando o dono está mais estressado ou com raiva e tendem a adequarem-se ao nosso humor, tornando-se agressivos também. Já quando o dono está triste ou doente, o cão pode tornar-se mais carinhoso e prestativo.