A cafeína é uma substância que podemos encontrar em certas plantas, embora também possa ser produzida em laboratório para adicioná-la a alguns alimentos.

Tem gente que, sem café logo pela manhã, não consegue receber esse nome. Os amantes de café adoram o cheiro e o sabor desta bebida escura, e podem beber várias vezes ao dia sem (aparentemente) passar noites sem dormir por causa disso.

O café tem muitos benefícios, ajuda a queimar gordura, contém nutrientes essenciais e diminui a possibilidade de doenças neurodegenerativas. Mas há uma linha tênue quando se trata de fazer café, de ‘forte’ a ‘vou direto para o inferno’.

Como cortar o efeito da cafeina

Como cortar o efeito da cafeina
Como cortar o efeito da cafeina

Saiba como cortar o efeito da cafeina, coma frutas e vegetais ricos em fibras, o que ajudará a reduzir e normalizar a absorção de cafeína pelo corpo.

Faça várias séries de respirações profundas para controlar sua frequência cardíaca acelerada. Mantenha-se ativo, seja se exercitando ou caminhando, para aproveitar o excesso de cafeína.

O café é amplamente consumido não apenas pelo sabor, mas pelos efeitos que tem nos consumidores. 

O próprio grão de café contém substâncias químicas que são estimulantes para as pessoas. Essas substâncias são tóxicas em grandes doses, podem causar insônia e fadiga mental em grandes quantidades.

Além disso, o que há de errado com a cafeína?

Para a maioria das pessoas, consumir até 400 mg de cafeína por dia não é prejudicial. Se você consumir muita cafeína, pode causar problemas de saúde, como: Inquietação e tremores. Insônia.

Mas então, quando tomar uma xícara de café?

Isso significa que todo o nosso corpo está ativado, por isso é melhor esperar para tomar uma xícara de café quando os níveis de cortisol caem. O apropriado é que, ao meio-dia, por exemplo, às 11h, tomemos nosso primeiro café.

Como acabar com o vício em café.

1. Mantenha um registro diário de cafeína

Ele pode dizer quanta cafeína você está consumindo e mostrar se você está bebendo mais ou menos do que pensa, diz Sweeney.

 Essa estratégia foi uma intervenção útil para pessoas que procuram tratamento para reduzir o uso de cafeína em um estudo realizado por Sweeney e outros pesquisadores da Universidade John Hopkins.

2. Conheça todas as fontes de cafeína na sua alimentação

Lembre-se: a cafeína está presente no café, chá, bebidas não alcoólicas, energéticos e licores, assim como no chocolate e no cacau. 

Também está presente em lanches fortificados, algumas barras energéticas e até alguns analgésicos, como Excerin e Midol. (Para uma lista mais detalhada de alimentos que contêm cafeína.

3. Se você toma café, reduza gradualmente o número de xícaras que consome por dia

É a recomendação “chave” que Sweeney faz para as pessoas que procuram reduzir a cafeína. “Se você bebe quatro xícaras de café por dia, pode reduzir para uma xícara por semana. Você também pode substituir uma xícara por descafeinado”, acrescenta.

4. Experimente alternativas ao café, como chá preto ou verde

O chá também pode dar energia, mas tem menos cafeína do que o café. Uma xícara de 8 onças de chá preto contém cerca de 47 miligramas de cafeína, e uma xícara de chá verde tem cerca de 25 miligramas por xícara, em comparação com 75 a 165 miligramas em uma xícara de café de 8 onças.

5. Antecipe os desejos de cafeína

Como parte do componente de aconselhamento no estudo da Universidade Johns Hopkins, e como parte do trabalho contínuo da unidade, os indivíduos identificam situações ou humores em que são mais propensos a desejar cafeína.

A unidade aconselha evitar situações que desencadeiam desejos, especialmente durante as primeiras semanas em que a cafeína é modificada, e ter um plano de ação para quando esses desejos ocorrerem, como fazer uma pausa relaxante de cinco minutos e exercícios de respiração profunda.