Seja qual for o jejum que escolhermos, o mais importante é dedicar esse tempo para buscar mais a Deus. A ênfase deve ser passar tempo com ele, orar, adorá-lo e ler sua Palavra. Deve ser um momento em que todo o resto fica em segundo plano para se deleitar em ouvir nosso Pai e receber o que ele quer nos dar.

O jejum é uma das disciplinas espirituais que é bom praticarmos como cristãos. Isso nos ajudas a fortalecer nosso espírito e nos aproximarmos de Deus, oferecendo-nos a oportunidade de negar algo ao nosso corpo e escolher voluntariamente priorizar algo espiritual: nosso relacionamento com Deus.

O significado básico da palavra jejum é a abstenção total ou parcial de comida e/ou bebida por um período de tempo. Isso significa que quando decidimos jejuar por um tempo específico, entende-se que deixaremos de comer ou beber total, ou parcialmente.

Como fazer jejum para deus

Como fazer jejum para deus
Como fazer jejum para deus

 

O principal motivo do jejum deve ser para nos aproximarmos de Deus, para mostrar a ele nosso amor, obediência e submissão. Como fazer jejum para deus, não devemos marcar um dia de jejum por motivos egoístas ou para obter algo que queremos que Deus nos conceda em troca.

Quando você jejuar, não faça uma cara triste como fazem os hipócritas, que mudam de rosto para mostrar que estão jejuando. 

Garanto-vos que estes já obtiveram a sua plena recompensa. Mas tu, quando jejuares, perfuma a cabeça e lava o rosto, para que não seja e   idente aos outros que estás jejuando, mas somente ao teu Pai, que está em secreto; e teu Pai, que vê o que se faz em segredo, te recompensará”.

(Mateus 6:16-18)

Nestes versículos vemos alguns pontos interessantes:

  • “Quando eles jejuarem”: Esta frase mostra que Jesus esperava que seus seguidores, aqueles que ouviam seus ensinamentos, jejuassem. O jejum fazia parte da cultura deles, ele sabia que eles jejuavam pelo menos um dia por ano (o Dia da Expiação) e ele não diz para eles pararem de fazê-lo.
  • Relacionado ao ponto anterior, vemos que é preferível não ser fisicamente perceptível quando jejuamos. Jesus os encoraja a se prepararem, a se verem reabastecidos, encorajados. O versículo 17 diz “…perfume a cabeça e lave o rosto…”.
  • O jejum deve ser secreto, algo entre nós e Deus: “…para que não seja evidente aos outros que você está jejuando, mas somente ao seu Pai…”.
  • Deus nos recompensa quando jejuamos por ele e a única recompensa com a qual devemos nos preocupar é a dele. Portanto, na medida do possível, ele deve ser o único a saber que estamos jejuando.

O jejum que agrada a Deus

Jejuar não é repartir o pão com os famintos e abrigar os pobres sem-teto, vestir os nus e não negligenciar seus semelhantes? Se você proceder assim, sua luz nascerá como a aurora e sua cura virá instantaneamente; a tua justiça te abrirá o caminho, e a glória do Senhor te seguirá. 

Você chamará, e o Senhor responderá; você pedirá ajuda, e ele dirá: “Aqui estou!

”» Se você jogar fora o jugo da opressão, o dedo acusador e a língua maldosa, se você se dedicar a ajudar os famintos e satisfazer a necessidade dos indefesos, então a tua luz brilhará nas trevas, e como o meio-dia será a tua noite.

O Senhor sempre o guiará; farta-te em terras áridas e fortificará os teus ossos. Você será como um jardim bem regado, como uma fonte cujas águas não se esgotam.
(Isaías 58:7-11)

Neste texto de Isaías vemos mais claramente qual é o jejum que agrada a Deus. Parar de comer por parar de comer não tem poder ou efeito espiritual sobre nós. Tampouco nos beneficia parar de comer, ou beber e continuar fazendo coisas que vão contra o coração de Deus.

Nos primeiros cinco versículos deste capítulo, Deus disse ao povo de Israel que, embora visse coisas boas neles, não estava nada feliz com a maneira como procederam no dia de jejum. Parece que eles jejuaram para impressionar os outros, e sua atitude durante o jejum refletiu as brigas entre eles.

Os versículos 6 a 11 detalham o jejum que agrada a Deus. Podemos ver que é um jejum que deve ser acompanhado de atos de justiça (quebrar as cadeias da injustiça, libertar os oprimidos). Deve também resultar em ações que demonstrem cuidado e amor pelos outros (compartilhar seu pão com os famintos, abrigar os sem-teto).

O que eles obteriam obedecendo e jejuando com a atitude correta seria a cura que Deus lhes daria. A glória do Senhor estaria com eles, desfrutariam de seus cuidados, de sua saúde e teriam muitas bênçãos. Deus sempre os guiaria, sua provisão seria suficiente e ele lhes daria força física. Bênçãos inesgotáveis!

Olhando para a passagem do Sermão da Montanha em que Jesus fala sobre o jejum, vemos novamente a importância de nossa atitude. O jejum deve ser com o propósito de agradar e obedecer a Deus. Não devemos jejuar para que outros nos vejam e nos admirem.