Para a maioria de nós, a instrução para se confessar acontecia na segunda série, logo antes da Primeira Comunhão. Fomos ensinados a confessar como crianças e a maioria de nós nunca recebeu mais nenhuma instrução.

Então ainda pensamos em termos de “desobedeci a mamãe, puxei o rabo do cachorro e briguei com Jimmy no pátio da escola”.

Antes de entrar no confessionário, devemos nos preparar para uma boa confissão, dedicando tempo suficiente não só para examinar nossa consciência, mas, principalmente, para suscitar em nosso coração sincera tristeza por nossos pecados e um firme propósito de não cometê-los novamente.

Como fazer uma boa confissão

Como fazer uma boa confissão
Como fazer uma boa confissão

Saiba como fazer uma boa confissão, veja abaixo:

Devemos começar nossa confissão assim: Entrando no confessionário, ajoelhamo-nos e, fazendo o sinal da cruz, dizemos ao sacerdote: “Abençoa-me, Pai, porque pequei”; e então contamos quanto tempo passou desde a nossa última confissão.

Depois de contar a hora da nossa última confissão, o que confessamos?

Depois de contar a hora de nossa última confissão, se tivermos cometido algum pecado mortal desde aquela hora, devemos confessá-lo, e também qualquer que tenhamos esquecido em confissões anteriores, informando a natureza e o número de cada um; podemos também confessar quaisquer pecados veniais que queiramos mencionar.

O que devemos fazer se não conseguirmos lembrar o número exato de nossos pecados mortais?

Se não conseguirmos lembrar o número exato de nossos pecados mortais, devemos contar o número o mais próximo possível, ou dizer quantas vezes cometemos os pecados em um dia, uma semana, um mês ou um ano.

O que devemos fazer quando não cometemos nenhum pecado mortal desde nossa última confissão?

Quando não tivermos cometido nenhum pecado mortal desde a nossa última confissão, devemos confessar nossos pecados veniais ou algum pecado contado em uma confissão anterior, do qual nos arrependemos novamente, para que o sacerdote nos dê a absolvição.

Não te lembres dos pecados da minha juventude nem das minhas ofensas. De acordo com a tua misericórdia, lembra-te de mim, por amor da tua bondade. (Salmo 24:7)

Como devemos terminar nossa confissão?

Devemos terminar nossa confissão dizendo: “Lamento estes e todos os pecados da minha vida passada, especialmente por…”; e então é bom contar um ou vários dos pecados que já confessamos anteriormente e pelos quais estamos particularmente arrependidos.

O que devemos fazer depois de confessar nossos pecados?

Depois de confessar nossos pecados, devemos responder com sinceridade a qualquer pergunta que o padre fizer, procurar conselho se sentirmos que precisamos de algum, ouvir atentamente a instrução espiritual e o conselho do padre e aceitar a penitência que ele nos dá.

O que devemos fazer quando o padre nos dá a absolvição?

Quando o padre está nos dando a absolvição, devemos dizer de coração o ato de contrição em tom para ser ouvido por ele.

O que devemos fazer depois de sair do confessionário?

Depois de sair do confessionário, devemos dar graças a Deus pelo sacramento que recebemos, suplicar a Nosso Senhor que supre as imperfeições de nossa confissão e fazer nossa penitência pronta e devotamente.

Antes da confissão

Sinta-se verdadeiramente arrependido de seus pecados. O ato essencial da Penitência, por parte do penitente, é a contrição, uma rejeição clara e decisiva do pecado cometido, juntamente com a resolução de não cometê-lo novamente, pelo amor que se tem a Deus e que renasce com o arrependimento.

A resolução de evitar cometer esses pecados no futuro (emenda) é um sinal seguro de que sua tristeza é genuína e autêntica. 

Isso não significa que uma promessa de nunca mais cair em pecado seja necessária. A resolução de tentar evitar as ocasiões próximas do pecado é suficiente para o verdadeiro arrependimento. A graça de Deus em cooperação com a intenção de retificar sua vida lhe dará forças para resistir e vencer a tentação no futuro.

Exame de Consciência

Antes de se confessar, faça uma revisão dos pecados mortais e veniais desde a sua última confissão sacramental, e expresse tristeza pelos pecados, ódio pelos pecados e a firme resolução de não pecar novamente.

Um padrão útil para o exame de consciência é revisar os Mandamentos de Deus e os Preceitos da Igreja:

  1. Deus e a busca da santidade em Cristo têm sido o objetivo da minha vida? Neguei minha fé? Depositei minha confiança em falsos ensinamentos ou substitutos de Deus? Desesperei da misericórdia de Deus?
  2. Evitei o uso profano do nome de Deus em meu discurso? Quebrei um voto ou promessa solene?
  3. Tenho honrado todos os domingos evitando trabalhos desnecessários, celebrando a Missa (também feriados)? Eu estava desatento ou desnecessariamente atrasado para a missa, ou saí mais cedo? Eu negligenciei a oração por muito tempo?
  4. Demonstrei respeito cristão pelos pais, cônjuge e membros da família, autoridades legítimas? Tenho estado atento à educação religiosa e à formação dos meus filhos?
  5. Cuidei da saúde e segurança corporal de mim mesmo e de todos os outros? Abusei de drogas ou álcool? Apoiei de alguma forma o aborto, a “morte por misericórdia” ou o suicídio?
  6. Eu estava impaciente, zangado, invejoso, orgulhoso, ciumento, vingativo, preguiçoso? Eu perdoei os outros?
  7. Fui justo em minhas responsabilidades para com o empregador e os empregados? Discriminei outras pessoas por causa de raça ou outras razões?
  8. Tenho sido casto em pensamento e palavra? Usei o sexo apenas dentro do casamento e enquanto estava aberto à procriação da vida? Eu me dei gratificação sexual? Eu deliberadamente olhei para TV impura, fotos, leitura?
  9. Roubei alguma coisa de outro, do meu empregador, do governo? Se sim, estou disposto a retribuir? Cumpri meus contratos? Joguei precipitadamente, privando minha família de necessidades?
  10. Falei mal de alguma outra pessoa? Eu sempre disse a verdade? Guardei segredos e confidências?
  11. Permiti pensamentos sexuais sobre alguém com quem não sou casado?
  12. Desejei o que pertence a outras pessoas? Desejei mal a outro?
  13. Tenho sido fiel à vida sacramental (Santa Comunhão e Penitência)?
  14. Ajudei a tornar a minha comunidade paroquial mais forte e santa? Contribuí para o sustento da Igreja?
  15. Fiz penitência abstendo-me e jejuando nos dias obrigatórios? Jejuei antes de comungar?
  16. Tenho estado atento aos pobres? Aceito a vontade de Deus para mim?

Durante a confissão

Depois de examinar sua consciência e contar a Deus sua tristeza, vá para o confessionário. Você pode se ajoelhar na tela ou sentar para conversar cara a cara com o padre.