Em João, Jesus alimentou uma grande multidão — muito mais de 5.000 pessoas — com apenas cinco pães de cevada e dois peixes. Esse milagre surpreendeu as pessoas que declararam que Jesus era um grande profeta – aquele que eles esperavam. 

Mas quando Jesus viu que o povo queria forçá-lo a ser seu rei, ele escapuliu silenciosamente para ficar sozinho nas colinas.No dia seguinte, as multidões foram à procura de Jesus, não porque tivessem entendido o seu milagre, mas porque ele lhes havia saciado o apetite.

As pessoas foram apanhadas na esteira do dia-a-dia de satisfazer suas necessidades e fornecer comida para suas barrigas famintas. Mas Jesus estava preocupado em salvar suas almas. Ele lhes disse: “Não se preocupem tanto com coisas perecíveis como comida.

Eu sou o pão da vida versículo

Eu sou o pão da vida versículo
Eu sou o pão da vida versículo

A resposta do versículo sobre Eu sou o pão da vida está em João 6:35: “Eu sou o pão da vida. Quem vem a mim nunca mais terá fome. Quem crê em mim nunca mais terá sede” (NLT). A frase “Eu sou o pão da vida” é uma das várias declarações “Eu Sou” que Jesus falou no Evangelho de João.

O pão é considerado um alimento básico, ou seja, um item básico da dieta. Uma pessoa pode sobreviver muito tempo apenas com pão e água. O pão é um alimento tão básico que se torna sinônimo de comida em geral. 

Até usamos a frase “partir o pão juntos” para indicar a partilha de uma refeição com alguém. O pão também desempenha uma parte integral da refeição da Páscoa judaica. 

Os judeus deviam comer pães ázimos durante a festa da Páscoa e depois durante os sete dias seguintes como uma celebração do êxodo do Egito. Finalmente, quando os judeus estavam vagando no deserto por 40 anos, Deus fez chover “pão do céu” para sustentar a nação ( Êxodo 16:4 ).

Tudo isso se encaixa na cena que está sendo descrita em João 6 quando Jesus usou o termo “pão da vida”. Ele estava tentando fugir da multidão sem sucesso. Ele havia atravessado o mar da Galiléia, e a multidão o seguia,depois de algum tempo, Jesus pergunta a Filipe como eles vão alimentar a multidão. 

A resposta de Philip mostra sua “pouca fé” quando diz que eles não têm dinheiro suficiente para dar a cada um deles o menor pedaço de comida. Finalmente, André traz a Jesus um menino que tinha cinco pães e dois peixes,com essa quantia, Jesus milagrosamente alimentou a multidão com muita comida de sobra.

Depois, Jesus e Seus discípulos voltam para o outro lado da Galiléia. Quando a multidão vê que Jesus foi embora, eles O seguem novamente. Jesus aproveita este momento para lhes ensinar uma lição. 

Ele acusa a multidão de ignorar Seus sinais milagrosos e segui-Lo apenas para a “refeição grátis”. Jesus lhes diz em João 6:27, “Trabalhai, não pela comida que perece, mas pela comida que permanece para a vida eterna, a qual o Filho do Homem vos dará. 

Pois nele Deus o Pai pôs o seu selo”. Em outras palavras, eles estavam tão encantados com a comida que estavam perdendo o fato de que seu Messias havia chegado. 

Então os judeus pedem a Jesus um sinal de que Ele foi enviado de Deus (como se a alimentação milagrosa e a caminhada sobre as águas não fossem suficientes). Eles dizem a Jesus que Deus lhes deu maná durante a peregrinação no deserto. 

Jesus responde dizendo-lhes que eles precisam pedir o verdadeiro pão do céu que dá vida. Quando eles pedem este pão a Jesus, Jesus os surpreende dizendo: “Eu sou o pão da vida; quem vem a mim não terá fome, e quem crê em mim nunca terá sede”.

Esta é uma afirmação fenomenal! Primeiro, ao se equiparar ao pão, Jesus está dizendo que ele é essencial para a vida. Segundo, a vida a que Jesus se refere não é a vida física, mas a vida eterna. 

Jesus está tentando tirar o pensamento dos judeus do reino físico para o reino espiritual. Ele está contrastando o que Ele traz como seu Messias com o pão que Ele milagrosamente criou no dia anterior. 

Esse foi o pão físico que perece. Ele é o pão espiritual que traz a vida eterna.Terceiro, e muito importante, Jesus está fazendo outra afirmação de divindade.

Esta declaração é a primeira das declarações “ EU SOU ” no Evangelho de João. A frase “EU SOU” é o nome da aliança de Deus (Yahweh, ou YHWH), revelado a Moisés na sarça ardente ( Êxodo 3:14 ).). A frase fala de existência auto-suficiente (ou o que os teólogos chamam de “ asseidade ”), que é um atributo que só Deus possui. 

É também uma frase que os judeus que estavam ouvindo teriam entendido automaticamente como uma afirmação de divindade.

Quarto, observe as palavras “venha” e “creia”. Este é um convite para que os ouvintes depositem sua fé em Jesus como Messias e Filho de Deus. Este convite para vir é encontrado em todo o Evangelho de João. 

Vir a Jesus envolve fazer uma escolha de abandonar o mundo e segui-lo. Crer em Jesus significa colocar nossa fé Nele que Ele é quem Ele diz que é, que Ele fará o que Ele diz que fará, e que Ele é o único que pode.

Quinto, há as palavras “fome e sede”. Novamente, deve-se notar que Jesus não está falando sobre aliviar a fome e a sede físicas. A chave é encontrada em outra declaração que Jesus fez, em Seu Sermão da Montanha. 

Em Mateus 5:6 , Jesus diz: “Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão fartos”. 

Quando Jesus diz que aqueles que vêm a Ele nunca terão fome e aqueles que crêem nEle nunca terão sede, Ele está dizendo que satisfará nossa fome e sede para sermos justificados aos olhos de Deus.

Se há algo que a história da religião humana nos diz, é que as pessoas procuram ganhar seu caminho para o céu. Este é um desejo humano básico porque Deus nos criou com a eternidade em mente. 

A Bíblia diz que Deus colocou [o desejo de] eternidade em nossos corações (Eclesiastes 3:11 ). 

A Bíblia também nos diz que não há nada que possamos fazer para ganhar nosso caminho para o céu porque todos pecamos ( Romanos 3:23 ) e a única coisa que nosso pecado nos ganha é a morte ( Romanos 6:23 ). Não há ninguém que seja justo em si mesmo ( Rm 3:10 ). 

Nosso dilema é que temos um desejo que não podemos realizar, não importa o que façamos. É aí que Jesus entra. Ele, e somente Ele, pode cumprir esse desejo de justiça em nossos corações por meio da Transação Divina:

justiça de Deus” ( 2 Coríntios 5:21). Quando Cristo morreu na cruz, Ele tomou sobre Si os pecados da humanidade e fez expiação por eles.

Quando colocamos nossa fé Nele, nossos pecados são imputados a Jesus, e Sua justiça é imputada a nós. Jesus sacia nossa fome e sede de justiça. Ele é o nosso Pão da Vida.