Atualmente, existe no mercado, uma infinidade de tipos e modelos de fios, e isso pode acabar trazendo um pouco de confusão para alguns pacientes.

De forma geral, existem dois tipos de fios: os absorvíveis (fios silhouette e fios de pdo) e os não-absorvíveis, ou seja, os permanentes (fios russos, fios de ouro, fios búlgaros) — e a diferença entre essas duas categorias é tipo de material pelo qual o fio é composto.

Os fios são chamados de fios de sustentação, mas a questão é que nem todos sustentam, pois, alguns têm finalidade de suporte de colágeno e outros têm objetivo de preenchimento.

Fio de sustentação no rosto antes e depois

Fio de sustentação no rosto antes e depois
Fio de sustentação no rosto antes e depois

Se você chegou até aqui é porque está conectado com as tendências de tratamentos estéticos da atualidade. Os fios de sustentação, ou fios bioestimuladores.

São o tratamento mais em alta por apresentar resultados incríveis sem perder a naturalidade e ainda tratando a pele.

Com o passar dos anos, começamos a diminuir (ou até mesmo perder um pouco) da produção de colágeno no nosso organismo, o que significa que estamos dando início ao nosso processo de envelhecimento.

A perda da firmeza da nossa pele é decorrente desse fenômeno e acarreta diversas consequências bastante indesejadas.

Assim como a flacidez facial e as ptoses (acentuamento do sulco nasogeniano, o famoso “bigode chinês”, formação do sulco mentoniano “bochechas de buldogue”, etc).

E apesar de não haver uma fórmula milagrosa para impedirmos a ação do envelhecimento, felizmente possuímos alguns procedimentos que podem nos auxiliar a retardar ou até prevenir estes processos, como os bioestimuladores de colágeno, destacando-se os Fios.

Os fios são responsáveis por promover um efeito de sustentação dos tecidos (lifting) e estimular a produção de colágeno dos mesmos.

Como ocorre o processo de estímulo de colágeno através dos fios?

O efeito de rejuvenescimento promovido pelo procedimento de implante de fios pode ocorrer de duas formas.

A primeira é através da inserção dos próprios fios, pois a tração mecânica produzida pelas “garras” que se fixam nos tecidos da face.

Conseguem promover o efeito de sustentação, puxando os tecidos e, portanto, acarretando um efeito imediato (porém leve) de lifting – amenizando a flacidez.

Além disso, a Polidioxanona, o material que compõe o fio, é uma substância capaz de estimular a atividade das fibras elásticas e dos fibroblastos (células indutoras de colágeno) durante todo o período em que o fio estiver implantado nos tecidos.

Quanto tempo duram os resultados?

Os Fios de PDO permanecem no organismo em até 6 meses, porém mesmo após sua completa absorção através de hidrólise, o processo inflamatório responsável pela indução de colágeno ainda persiste e os resultados podem durar até 2 anos.

Passado o período de ação dos fios, os ganhos com o procedimento não são perdidos, porém, o processo de envelhecimento natural do corpo é contínuo.

Portanto, é necessário o acompanhamento junto ao profissional para avaliar a necessidade de reposição de mais fios ou a aliança a outros procedimentos, sempre mantendo os cuidados com a pele e os tecidos.

O resultado é imediato?

Por ser um procedimento que induz o próprio organismo a estimular colágeno, os efeitos rejuvenescedores dessa técnica são relativamente tardios comparados aos resultados imediatos que a toxina botulínica ou os preenchedores provêm.

O resultado inicial pós procedimento é de um leve lifting devido à tração realizada pelos Fios espiculados, e nos meses que se seguem, ocorre um estímulo de produção natural do colágeno pelo organismo, que por apresentar um ciclo de, aproximadamente 21 a 30 dias.

Nos fornece resultados progressivos, ou seja, os efeitos finais serão mais visíveis dentro de 6 a 9 meses.

Qual a indicação e as áreas que os fios podem ser utilizados?

Esse procedimento é indicado, principalmente, para pacientes que já apresentam certa flacidez tecidual ou que desejam prevenir sua ocorrência.

É importante também observar que cada indivíduo apresenta esses sinais de flacidez em graus e idades diferentes, porém, é possível realizar o procedimento a partir dos 25 anos.

As áreas de maior recomendação para o procedimento de implante de fios são:

– Contornos do rosto (malar, mandíbula, etc) para redefinição

– Sulcos faciais (“bigode chinês”, “linha de marionete”, “bochechas de buldogue”)

– Pescoço e papada

Além dessas regiões, ainda é comum observar a utilização de fios em áreas como glabela (entre sobrancelhas) e olhos (“pés de galinha”), ou até mesmo no corpo (braços, abdômen, interno de coxas, etc).

Como é realizado o procedimento?

Apesar da complexidade, o procedimento não é cirúrgico, é minimamente invasivo e realizado com anestesia local.

Após a determinação do planejamento do tratamento e a marcação do mapeamento facial (individual para cada paciente), os fios são inseridos via microcânulas na camada SMAS (Sistema Muscular Aponeurótico) através de alguns pertuitos realizados na face.

Como as microcânulas são bem finas, as perfurações costumam fechar-se imediatamente, sem deixar marcas ou cicatrizes.

Em relação à quantidade, GERALMENTE são utilizados de 4 a 8 filamentos quando se trata de fios espiculados e de 10 ou mais filamentos de fios lisos.

Porém a quantidade utilizada dependerá do grau de flacidez e da área a serem tratados, além do critério de avaliação realizado pelo profissional.

Quais os efeitos e cuidados pós tratamento?

Assim como em qualquer procedimento estético, a inserção de fios no rosto pode causar um leve inchaço e vermelhidão, além de prováveis hematomas nos pontos de pertuito para a entrada das microcânulas.

Esses efeitos desaparecem dentro de alguns dias, porém é recomendável realizar compressas geladas nas primeiras 24 a 48 horas pós procedimento para o alívio dos sintomas.

Também é recomendado evitar massagear, pressionar (ex: dormir em cima do rosto) ou realizar movimentos excessivos na região tratada (a não quer seja indicado pelo profissional) por aproximadamente 3 a 5 dias.

Do mesmo modo, durante esse período também não se deve realizar exercícios físicos muito intensos que possam prejudicar nos resultados do procedimento.

A realização de um procedimento como a inserção dos Fios de sutura exige um grande conhecimento da anatomia humana, além de uma boa experiência na prática da técnica e uma exímia avaliação do paciente e de suas queixas por parte do profissional.

Antes de realizar esse tratamento, procure sempre a orientação de um profissional habilitado para determinar se este é o procedimento mais indicado para o seu caso.

Quanto custa para colocar fios?

O preço varia de acordo com cada perfil de clinica, com o produto e tipo de fios utilizados, mas fica em torno R$ 2 mil reais.

Na Clinic realizamos avaliação gratuita para que o paciente possa identificar se os fios são a opção mais recomendada pelas nossas doutoras. Realizamos atendimento apenas em São Paulo (SP).