A ivermectina é um remédio antiparasitário capaz de paralisar e promover a eliminação de vários tipos de parasitas.

A falha do controle de natalidade é muito mais séria do que um Tylenol que não curou sua dor de cabeça.

Se o seu anticoncepcional não funcionar, você corre o risco de uma gravidez indesejada. Portanto, é importante estar ciente de quaisquer medicamentos que possam interferir na eficácia da sua contracepção.

Antes de tomar qualquer novo medicamento, consulte seu médico ou farmacêutico para ver se o medicamento pode interferir com suas pílulas anticoncepcionais.

Ivermectina corta o efeito do anticoncepcional

Ivermectina corta o efeito do anticoncepcional
Ivermectina corta o efeito do anticoncepcional

A ivermectina é um medicamento antiparasitário muito indicado no tratamento de diversas doenças, Ivermectina corta o efeito do anticoncepcional? Não!

Os seguintes medicamentos e suplementos é que podem interferir na eficácia das pílulas anticoncepcionais.

1. Antibióticos

“Acredita-se que os antibióticos, especialmente a rifampicina, afetam a absorção das pílulas anticoncepcionais porque alteram o ambiente do estômago”.

Mas como você pode engravidar se o antibiótico interferir, é mais seguro usar uma forma alternativa de contracepção (como um método de barreira) ou contracepção de emergência  ao tomar antibióticos e anticoncepcionais.

2. Medicamentos anti-HIV

Pesquisas mostram que alguns retrovirais usados ​​para tratar o HIV podem tornar seu controle de natalidade menos eficaz.

Sustiva (efavirenz), em particular, demonstrou comprometer a eficácia. Verifique com seu médico antes de tomar um tratamento anti-HIV com as pílulas anticoncepcionais.

3. Medicamentos antifúngicos

Certos medicamentos antifúngicos orais ou intravenosos podem fazer com que suas pílulas anticoncepcionais sejam menos eficazes.

Gris-peg (griseofulvina) — usado para tratar coceira na virilha, micose ou pé de atleta — particularmente pode interagir com a contracepção.

Pomadas, cremes e pós antifúngicos que você aplica na pele não interferem na contracepção oral.

“Antifúngicos como fluconazol e itraconazol inibem a enzima que é parcialmente responsável pelo metabolismo das pílulas anticoncepcionais”, diz Dr. Torres.

“Isso poderia levar a um aumento das concentrações plasmáticas de estrogênio. Isso pode resultar em náuseas e sensibilidade mamária.

Cursos curtos de antifúngicos podem não apresentar um problema clinicamente significativo, mas cursos mais longos podem ser mais preocupantes”.

4. Anticonvulsivantes

Medicamentos que tratam convulsões, ou aqueles que são usados ​​por pessoas com epilepsia, são conhecidos por interferir nas pílulas anticoncepcionais.

“ Topamax, ou topiramato genérico, comumente usado para profilaxia de enxaqueca e convulsões, também pode tornar seu controle de natalidade menos eficaz”, diz Dr. Torres.

5. Anestesia geral

Se você estiver realizando algum procedimento que exija anestesia, é importante informar ao cirurgião que você toma pílulas anticoncepcionais, pois isso pode interferir na eficácia.

“O Sugamadex é usado para reverter bloqueios neuromusculares envolvidos em procedimentos cirúrgicos”, diz Taylor Graber, MD, anestesista residente da Universidade da Califórnia em San Diego e proprietário do ASAP IVs .

“Um dos efeitos colaterais deste medicamento é que ele se liga e inibe temporariamente os medicamentos anticoncepcionais”.

6. Medicamentos anti-náusea

Pesquisas mostram que Emend (aprepitant), um medicamento que bloqueia os produtos químicos que causam náusea, pode interferir na eficácia do controle de natalidade.

Também é importante observar: se você vomitar após tomar sua dose regular de controle de natalidade, pode não ter sido totalmente absorvido.

Trate-a como uma dose esquecida e use um contraceptivo de backup até que esteja totalmente protegida novamente.

7. Medicação para hipertensão pulmonar

Tracleer (bosentano) é um medicamento usado para tratar pessoas que têm pressão alta dos vasos pulmonares.

Este medicamento pode interferir na eficácia do controle de natalidade, diminuindo os níveis hormonais no sangue.

Ele também traz o risco de defeitos congênitos graves, por isso é recomendado que qualquer mulher que o tome use dois métodos de controle de natalidade.

8. Medicamentos para diabete

A pesquisa mostrou que Actos (pioglitazona) e Avandia (maleato de rosiglitazona), medicamentos que tratam a diabete, podem diminuir a eficácia da pílula anticoncepcional.

Converse com seu endocrinologista ou ginecologista para descobrir se existem métodos alternativos de tratamento.

9. Suplementos de ervas e vitaminas

Erva de São João é um suplemento que as pessoas tomam para ajudar com sintomas de depressão, insônia ou ansiedade.

As isoflavonas de soja são de uma planta de soja e podem reduzir as ondas de calor relacionadas à menopausa ou ajudar a manter os ossos fortes.

A pesquisa mostrou que suplementos como esses podem reduzir a eficácia das pílulas anticoncepcionais.

“Há alguns pensamentos de que a erva de São João, normalmente usada para ajudar com sintomas de depressão, contém ingredientes que podem acelerar a quebra do estrogênio, tornando o controle de natalidade menos eficaz”, diz Dr. Torres.

“ A vitamina C, muitas vezes tomada para aumentar a função imunológica, também pode interagir com o controle de natalidade. O estrogênio pode causar aumentos nos níveis de vitamina C, o que pode ser potencialmente problemático”.

Como evitar a ineficácia do controle de natalidade

Sempre converse com seu médico sobre interações de controle de natalidade antes de tomar novos medicamentos, incluindo vitaminas ou medicamentos de venda livre.

Pergunte se o medicamento ou suplemento interferirá na eficácia do seu controle de natalidade. Mesmo que sejam necessárias mais pesquisas, geralmente é melhor errar do lado da cautela.

Você pode usar formas alternativas de controle de natalidade, além de contraceptivos orais, ao tomar medicamentos que interferem na eficácia.