Cães de algumas raças de pastoreio e alguns cães mestiços podem ter uma mutação genética que as torna perigosamente hipersensível à ivermectina.

O ingrediente ativo em alguns medicamentos de prevenção de dirofilariose comumente usados ​​para cães.

Dada nas doses adequadas e sob a supervisão de um veterinário, a ivermectina é segura para a maioria dos cães e é muito eficaz no tratamento e prevenção de vários parasitas.

No entanto, um cachorro com a mutação que ingere o medicamento pode ter uma reação grave e com risco de vida chamada toxicidade da ivermectina.

Ivermectina de humano pode dar para cachorro

Ivermectina de humano pode dar para cachorro
Ivermectina de humano pode dar para cachorro

Os cachorros podem ingerir Ivermectina de humano não apenas na forma de preventivo de dirofilariose, mas também se comerem o esterco de gado tratado com o medicamento para controle de parasitas.

Por esse motivo, os donos de raças vulneráveis ​​​​devem ser extremamente vigilantes quando seus cães estão perto de cavalos, ovelhas ou outros animais.

Proprietários de raças de pastoreio ou outros cães vulneráveis ​​devem ter cuidado para que seus cães não comam esterco de ovelhas ou outros animais que possam ter sido tratados com ivermectina.

A ivermectina é mais comumente usada como preventivo de dirofilariose em cães e gatos.

Por exemplo, em cães, a ivermectina pode ser usada no tratamento de ácaros (sarna demodécica, sarna e ácaros da orelha), parasitas intestinais (ancilóstomos, lombrigas) e capilares.

Em gatos, a ivermectina pode ser usada para tratar ácaros da orelha e sarna de gato.

Como a ivermectina é administrada?

A ivermectina pode ser combinada com outros medicamentos de desparasitação.

A ivermectina está disponível em comprimidos, comprimidos mastigáveis, um líquido tópico (para tratamentos de ácaros da orelha) e um injetável que seu veterinário administrará.

Pode ser administrado com ou sem alimentos. Se o seu animal vomitar ou ficar doente após tomar a medicação com o estômago vazio, dê com comida ou um pequeno petisco para ver se isso ajuda.

Se o vômito continuar, entre em contato com seu veterinário.

Sintomas de toxicidade de ivermectina

Os sinais de toxicidade da ivermectina podem ser agudos ou leves. Sintomas agudos podem ocorrer dentro de 4 a 12 horas após a ingestão, enquanto sintomas mais leves podem se tornar aparentes em 2 ou 3 dias.

Os sintomas podem incluir:

  • Letargia ou depressão
  • Desorientação
  • Babando
  • Perda de apetite
  • Batimento cardíaco lento
  • Dilatação das pupilas
  • Tremores ou convulsões
  • Incapacidade de ficar de pé
  • Dificuldade ao respirar
  • Cegueira súbita

Quais raças podem ser sensíveis à ivermectina?

Verificou-se que os seguintes tipos de cães são propensos à mutação:

  • Pastor australiano
  • Border Collie
  • Collie
  • cão pastor alemão
  • Pastor Americano miniatura
  • Pastor inglês antigo
  • Pastor de Shetland
  • Skye Terrier

Mestiços que podem ter herança de raça de pastoreio

É importante entender que nem todos os cães individuais nas raças listadas acima têm o gene mutante.

Teste de sensibilidade à ivermectina

Felizmente, agora está disponível um teste genético simples que indica se um cão tem ou não a mutação.

Os veterinários recomendam que os donos de cães de raça de pastoreio façam esse teste simples em seus animais de estimação.

O teste envolve uma pequena escova que é rapidamente passada na boca do cão, com a amostra enviada para um laboratório de testes na Universidade Estadual de Washington.

Se você estiver preocupado com o fato de seu cão ser vulnerável à ivermectina ou outras drogas, ou tiver dúvidas sobre o uso do preventivo de dirofilariose, converse com seu veterinário.

E se eu deixar de dar o medicamento ao meu animal de estimação (ou minha remessa estiver atrasada)?

Dê a dose esquecida assim que se lembrar e aguarde o intervalo de tempo entre as doses recomendadas pelo seu veterinário antes de dar a próxima dose. Não dê ao seu cão duas doses de uma só vez, nem dê doses extras.

Se você estiver usando ivermectina como preventivo de dirofilariose e mais de 8 semanas se passaram sem dar este medicamento, entre em contato com seu veterinário para obter orientação.

Existem efeitos colaterais potenciais?

A ivermectina é geralmente bem tolerada, mas pode ter sérios efeitos colaterais neurológicos quando administrada em altas doses, como para infestações de ácaros.

Algumas raças, como collies, são sensíveis a apenas doses moderadas de ivermectina e podem ter efeitos colaterais em doses mais baixas.

A ivermectina pode causar uma reação de choque em alguns cães. Se isso ocorrer, entre em contato com seu veterinário.

Se você notar algum efeito colateral, como dor de estômago, vômito, diarréia, pupilas dilatadas, instabilidade ao caminhar ou um comportamento atordoado, entre em contato com seu veterinário.

Este medicamento de ação curta deve parar de funcionar dentro de 24 horas, embora os efeitos possam ser mais longos em animais de estimação com doença hepática ou renal.

Existem fatores de risco para este medicamento?

A ivermectina não deve ser usada em cães com menos de 6 semanas de idade ou em cães sem teste negativo para dirofilariose.

Algumas raças de cães (por exemplo, collies, cães pastores e raças cruzadas de cães pastores ou collie) são mais sensíveis à ivermectina do que outras.

Isso geralmente se deve a uma mutação genética específica (MDR1) que as torna menos capazes de tolerar altas doses de ivermectina. As doses usadas para prevenção de dirofilariose são seguras para uso nessas raças de cães.

Seu veterinário irá aconselhá-lo sobre a segurança do uso de ivermectina em seu cão.

O que devo fazer em caso de emergência?

Se você suspeitar de uma overdose ou uma reação adversa ao medicamento, ligue imediatamente para o consultório veterinário.

Se eles não estiverem disponíveis, siga suas instruções ao entrar em contato com uma unidade de emergência.