Meu filho tem 4 anos e não quer comer nada, saiba tudo neste  artigo  continue a ler  e verifique mais detalhes.

As razões pelas quais uma criança entre 4 anos se recusa a comer podem surpreendê-lo. A boa notícia é que fazer alguns ajustes simples pode mudar tudo!

Meu filho tem 4 anos e não quer comer nada

criança frustrada sentada na frente da refeição, recusando-se a comer

Se você quiser saber mais sobre esse tópico de maneira visual!Veja abaixo sobre Meu filho tem 4 anos e não quer comer nada:

Muitos pais podem se identificar com a frustração de ter um filho se recusando a comer qualquer coisa. Pode começar pequeno, com eles torcendo o nariz para o tipo “errado” de frango ou o brócolis “fedorento”.

Então, a próxima coisa que você sabe é que você está fazendo os mesmos três itens para cada refeição e se perguntando se seu filho pode realmente sobreviver com macarrão com manteiga, bolachas e fatias de maçã.

Antes de cair em um padrão de batalhas na hora das refeições ou simplesmente servir cereais no café da manhã, almoço e jantar, tenha em mente que se recusar a comer é um comportamento comum na infância. E na maioria dos casos, não é devido a nada importante, mas é causado por coisas totalmente normais como:

  • preferência pessoal (confissão: nem sempre gostamos de couve-flor – embora seus benefícios sejam inegáveis )
  • falta de fome
  • relutância em tentar algo novo
  • doenças comuns da infância (como dor de garganta ou dor de barriga)
  • um dia de folga (todos nós os temos)

No entanto, ocasionalmente, problemas mais sérios estão à mão. E mesmo que não, você não quer que uma fase se transforme em um hábito para toda a vida. Por isso, é importante entender por que seu pequeno pode se recusar a comer, bem como formas de incentivar uma relação saudável com a comida.

10 RAZÕES COMUNS PELAS QUAIS UMA CRIANÇA SE RECUSA A COMER NAS REFEIÇÕES

  1. Eles sentem pressão
  2. Eles sentem que não têm nada a dizer
  3. Eles estão entediados
  4. Eles simplesmente não estão com fome
  5. Eles estão distraídos
  6. As porções são muito grandes
  7. Eles não estão se sentindo bem
  8. Demasiado leite (ou sumo)
  9. Há muitos lanches
  10. Eles estão muito cansados

1. ELES SENTEM PRESSÃO

Se uma criança se sentir pressionada para comer ou sentir que você, como pai, está ansioso na hora das refeições, ela provavelmente recuará e não comerá.

Crianças pequenas sentem pressão, mesmo que não seja tão direta quanto “coma suas ervilhas!” 

Se você se concentrar demais no que e quanto eles estão comendo durante uma refeição, em vez de permitir que eles sejam simplesmente mais um comedor na mesa (enquanto você se concentra em sua própria refeição), eles ficarão ansiosos e provavelmente resistirão a comer.

Talvez você:

  • empurre a comida para perto deles
  • observe-os a cada movimento
  • pairar sobre eles
  • retirar continuamente os alimentos não consumidos da bandeja e substituí-los por novos alimentos
  • falar sobre sua falta de comer
  • tente alimentá-los com colher

2. ELES SENTEM QUE NÃO TÊM VOZ

Sabemos por pesquisas que as crianças comem melhor quando ajudam a fazer compras, preparar, cozinhar ou servir a refeição.

É por isso que é importante incluir as crianças na preparação das refeições – até mesmo fazê-las misturar os ingredientes ou colocar a mesa pode ajudar. 

E mesmo que os pais devam ser responsáveis ​​pelo “o que é” da alimentação, as crianças podem sentir que não têm controle ou voz sobre o que são alimentados se você não as incluir na escolha dos alimentos de vez em quando.

Eles podem ficar entediados com o que você lhes serve, ou talvez não gostem da maneira como a comida é preparada.

3. ELES ESTÃO ENTEDIADOS

Eu sou como qualquer pai e fico preso em “rotinas de comida” onde eu sirvo a mesma coisa repetidamente. Tradução: grande tédio infantil e eventual recusa alimentar.

Aqui está um exemplo: depois que meu terceiro bebê nasceu, eu me senti como se estivesse em modo de sobrevivência por alguns meses (ainda estou às vezes!) e mandei meu filho para a escola com o mesmo lanche praticamente todos os dias:

uma barra de granola saudável , queijo ou iogurte e uma peça de fruta. Sim, a mesma coisa repetidas vezes. Ele começou a voltar para casa com a maior parte de seu lanche não consumido não apenas uma vez, mas praticamente todos os dias.

No meu estado de privação de sono, eu não percebi que ele poderia estar ficando cansado de seu lanche, mesmo que ele adorasse.

COMO CONSERTEI:

Perguntei por que ele não estava comendo seu lanche e ele disse “não sei, só não gosto mais”. Perguntei então se ele estava entediado e ele respondeu “sim, estou entediado”.

Nós então criamos algumas opções de lanches novos e diferentes para ele juntos e eu tento alternar entre três ou quatro deles para que ele não fique entediado. Enjoamos de certos alimentos e nossos filhos também. Este é geralmente um desafio fácil de superar.

Mude os estilos de serviço. Algo tão simples como mudar a forma ou a textura dos alimentos pode fazer a diferença para uma criança. 

Se couve-flor, cenoura ou aipo crus estiverem muito crocantes, cozinhe-os no vapor. Misture “moedas” de pepino com tiras, ou experimente “batatas fritas” de batata-doce em vez de batata-doce assada, ou sopa de abóbora em vez de abóbora assada! Experimente para ver o que eles mais gostam.

4. ELES SIMPLESMENTE NÃO ESTÃO COM FOME

Agora sabemos que o apetite de bebês e crianças pode ser imprevisível e errático na melhor das hipóteses. Após os dois anos de idade, o crescimento diminui e se estabiliza, o que significa que as crianças não têm tanta fome quanto costumavam ter.

As crianças têm “dias de fome” e “dias cheios” e isso pode significar que um dia, seu filho come mais que todos na mesa, e outro dia eles não comem muito no jantar.

Contanto que você mantenha seus papéis de alimentação e permaneça consistente com os limites das refeições, seu filho deve estar encarregado de saber se e quanto come. É possível que seu filho simplesmente não esteja fisicamente com fome quando uma refeição é servida (por qualquer motivo) e tudo bem.

5. ELES ESTÃO DISTRAÍDOS

Permitir que seus filhos assistam TV, assistam a um iPad ou brinquem com brinquedos na mesa é uma receita para distração.

Quando uma criança está assistindo a um programa ou jogando um jogo em um iPad enquanto come, ela está focando a maior parte, se não TODA, de sua atenção na tela. 

Não há atenção para comer sua refeição, muito menos ouvir sua barriga. Com uma tela na frente deles, as crianças podem facilmente comer menos ou comer demais porque simplesmente não estão prestando atenção.

As crianças pequenas têm bastante dificuldade em se concentrar em sua refeição com o mínimo de distrações e muito menos uma grande tela em movimento brilhante na frente delas. O mesmo vale para brinquedos e brincar com os irmãos na mesa.

6. AS PORÇÕES SÃO MUITO GRANDES

Algumas crianças são desligadas de uma refeição simplesmente porque a porção que foi servida é muito grande e esmagadora.

Isso nunca foi um problema com meu filho mais velho, mas é definitivamente um problema com minha filha. 

Eu costumava servir a ela a mesma quantidade que servia ao meu filho (esse foi um hábito irracional que eu adquiri), mas depois de muitas rejeições de refeições, percebi que estava servindo demais. Estávamos desperdiçando comida e minha filha ficou impressionada com as porções que eu estava oferecendo.

COMO CONSERTEI:

Quando eu reduzi suas porções (mais da metade!), ela começou a comer suas refeições novamente e às vezes até pedia mais.

Eu lhe servi menos de tudo, mas ainda me certifiquei de que ela estava recebendo uma boa refeição equilibrada. Percebi que eu também sou assim – se me servem uma porção muito grande de qualquer comida, imediatamente fico desanimada e não como tanto.

7. ELES ESTÃO NERVOSOS OU COM MEDO DE TENTAR

Imagine experimentar uma comida estrangeira pela primeira vez, sem saber como é o gosto ou a sensação na boca. Você pode ser hesitante também! As crianças têm mais papilas gustativas do que nós, então todos os alimentos têm um sabor mais intenso para elas.

8. MUITO LEITE (OU SUCO)

Beber leite entre as refeições pode ter um efeito saciante. O leite contém gordura e proteína, dois nutrientes que fazem as crianças se sentirem satisfeitas. O excesso de leite também pode deslocar outros nutrientes importantes, preenchendo o precioso espaço da barriga que deve ter espaço para uma variedade de alimentos diferentes.

Demasiado leite e suco também podem afetar negativamente a saúde bucal.

9. HÁ MUITOS LANCHES

As crianças que “ pastam ” entre as refeições com frequência ou fazem lanches aleatórios ao longo do dia podem chegar à mesa sentindo-se muito cheias para comer sua refeição. 

É por isso que é tão importante estabelecer uma estrutura em torno dos horários dos lanches.

10. HÁ UMA RAZÃO MÉDICA REAL QUE AFETA A CAPACIDADE DE SEU FILHO COMER

É possível que haja uma preocupação real, física ou médica que afete a capacidade de comer do seu filho.