A Lia era a filha mais velha de um homem chamado Labão e tinha uma irmã mais jovem que se chamava Raquel.O autor do Gênesis irá descrevê-la assim: “Os olhos de Lia eram meigos, mas sem brilho” (29.17a), pode-se entender, entre tantas hermenêuticas.

Que havia uma tristeza em seu olhar, característica que possivelmente só aumentou devido os acontecimentos num tempo vindouro de sua vida, apesar de a mesma ter encontrado graça no Senhor.O Jacó amava a irmã mais nova de Lia e para conseguir a mão de Raquel em casamento estava disposto a trabalhar por sete anos para Labão, e assim o fez.

Cumprindo este período de serviços prestados, o Labão não foi honesto em seu acordo. Num determinado dia, ele reuniu todos os homens do lugar para um banquete e ao cair da noite, ao invés de conduzir Raquel até Jacó, ele conduziu a Lia e ambos tiveram relações sexuais naquela mesma noite.

Morte de lia versículo morte de lia versículo

Morte de lia versículo morte de lia versículo
Morte de lia versículo morte de lia versículo

A única coisa que encontramos no versículo Morte de lia ,esta aqui abaixo.

A Lia faleceu antes de Jacó e foi enterrada numa gruta que estava no campo de Efrom, o hitita, na caverna do campo de Macpela, perto de Manre, em Canaã, campo que Abraão comprou de Efrom, o hitita, como propriedade para sepultura familiar.

Nesse local foram enterrados, além de Jacó, Abraão e sua esposa Sara, Isaque e sua esposa Rebeca (Gênesis 49.29-31).

LIA – esposa de Jacó

ÉPOCA

Lia foi a primeira esposa de Jacó. Ela era filha de Labão e irmã mais velha de Raquel, a segunda esposa de Jacó. A história de Lia está registrada no livro de Gênesis (Gênesis 29-49).

Dependendo da tradução bíblica, Lia também é chamada de Lea ou Léia. Seu nome vem do hebraico le’ah, que provavelmente significa “vaca selvagem”.

A Bíblia não diz absolutamente nada sobre a mãe de Lia ou qualquer outra informação anterior a chegada de Jacó em Harã. Lia apenas é descrita na Bíblia como uma mulher de olhos tenros.

Já sua irmã, Raquel, é descrita como tendo um belo semblante, uma mulher formosa à vista (Gênesis 29:17). Nessa época era normal o homem ter mais de uma esposa.

SITUAÇÃO

Ao longo de toda uma vida, ela sofre as injustiças da negativa da natureza em lhe conceder beleza. É casada à força, com um homem que não a ama. Não lhe foi dado o tempo para encontrar um verdadeiro amor.

Estaria para sempre presa a um relacionamento no qual a comparação era inevitável.

Lia tinha olhos bonitos, mas a beleza incomparável seria sempre a da irmã. Por muitos e muitos anos, Lia viveu atribulada pela dor do desprezo, mas conseguia concentrar seus olhos no futuro. Os nomes de seus filhos revelaram sua fé e confiança em Deus, por isso, não foi desamparada por Ele.

O Altíssimo sentiu a dor que Lia sofreu ao ser humilhada, por isso a tornou mãe de seis dos homens que encabeçaram as tribos de Israel.

Entre eles estão Levi, tribo que nasceria Moisés, Arão e toda classe sacerdotal.

Além disso, deu a luz a Judá, tribo pela qual nasceu o Senhor Jesus, chamado de o “Leão da tribo de Judá”.

Raquel morreu cedo e ficou sepultada no caminho por onde peregrinavam naquela época. Enquanto Lia foi a companheira de Jacó por longos anos. Esteve ao seu lado nos momentos mais difíceis.

Foi no seu ombro que o patriarca teve o consolo para enfrentar as dores que viveu. Foram suas mãos que preparam o alimento que o sustentou e o seu calor que o aqueceu na friagem de tantos acampamentos.

Vemos no final de sua vida que Jacó passou a amá-la e a considerou como sua esposa legítima, pois ele a sepultou no túmulo dos patriarcas junto com Abrãao, Sara, Isaque e Rebeca.

Nos dias de hoje ainda existe muitas Lias, com situações parecidas. Muitos maridos hoje amam outras coisas mais do que as mulheres:

emprego, posição, dinheiro, esportes. Muitas coisas, além de outra mulher. Não desista no meio do caminho, mesmo com tanto sofrimento e desprezo. Deus não se esqueceu de você, Ele só está esperando o melhor momento de agir e de honrar a sua vida.

SOFRIMENTO

Gênesis 29:31 nos diz que “… Lia era desprezada.”

Ela sofria porque tinha um pai enganador e sem princípios, tinha uma irmã que a desprezava e um marido que não a amava.

Lia não teve escolha, naquela época as filhas eram obrigada a fazer o que o pai determinava, Lia sabia que Jacó era apaixonado pela irmã, e quando ele descobrisse que foi enganado a ira e desprezo recairia sobre ela, e ela teria que conviver com isso, isso demostrou uma mulher forte.

E além de tudo isso Lia teve que lidar com o ciúmes de Raquel, pois não engravidava.

O seu sofrimento aumentou quando Raquel casou-se com seu esposo Jacó. A Bíblia nos diz que o Senhor não só viu que Lia estava sendo desprezada por seu marido, como Ele decidiu fazê-la feliz apesar dos problemas: Ele “… abriu a sua madre.”

Lia, agora, era a esposa fértil de Jacó, Ela foi a esposa legítima de Jacó.

Lia, depois do casamento de Jacó com Raquel, teve que dividir o seu marido com a irmã. E além desta sua aflição, ela sofria ainda mais sabendo que ele “… amava mais a Raquel…” e que ela era desprezada por ele.

A vida familiar de Jacó foi um tanto quanto conturbada por causa da rivalidade entre as duas irmãs que disputavam o amor e a atenção do mesmo marido. Mas a Bíblia deixa claro que Lia jamais foi a esposa preferida.

Na verdade Jacó a desprezava. Então o texto bíblico diz que Deus abriu a madre de Lia, enquanto Raquel permaneceu estéril durante muito tempo. O desespero de Lia pela aceitação de seu marido fica evidente no nascimento de cada um de seus filhos (Gênesis 29-30).

Lia foi mãe de seis filhos e uma filha. São eles: Rúben, Simeão, Levi, Judá, Issacar, Zebulom e Diná. Conforme um antigo costume da época, através de sua serva Zilpa, nasceram Gate e Aser.

ALEGRIA

O Senhor ouviu suas orações. Mesmo por tudo que Lia passou, a alegria dela em ver a casa sendo cheia de filhos do homem que amava.

Que Deus a ouvia e a consolava, confiando a ela filhos que se tornariam nações. Deus lhe deu filho belos, fortes, um dos quais fundaria a linhagem dos sacerdotes de Israel e outro que seria ancestral de Jesus.

LIÇÃO

Da boca de Lia nunca saiu uma palavra sequer, registrada pelo texto bíblico, que desse a entender que ela se deixou contaminar pela tristeza que certamente trazia no seu coração. Todas as pessoas querem ser amadas. Ela não era diferente.

Mas Lia não se amargurou na busca pelo amor. Vemos isso no significado dos nomes que ela dá a seus filhos. Lia assumiu o que seus olhos viam, ela procurou olhar a vida com meiguice e com doçura, jamais se deixando endurecer ou envenenar.

Lia buscou respostas em Deus, o supremo. Além do exemplo de Lia, encontramos na Bíblia algumas exortações importantes sobre nossa forma de olhar:

– Olhar firmemente para o autor e consumador da fé (Hb 12.2);

– Olhos que sejam bons, para iluminar o corpo (Mt 6.22);

– Olhos que atentam para o Senhor, nosso Deus (Sl 123)

– Olhos elevados para os montes, para a habitação de Deus (Sl 121)

Onde está o seu olhar hoje? De que modo você olha a vida? Seu modo de olhar certamente determinará se você chegará ao lugar que Deus tem para você. A riqueza, a beleza, a formosura… tudo isso passará.

Mas um olhar meigo, fiel e sincero permitirá a você e a mim enxergar as coisas de Deus por toda a eternidade.

Uma coisa muito interessante, que aconteceu com Jacó, a lei da ação e reação, tudo o que plantares assim também colherás, mas Deus é misericordioso para conosco.

Jacó se deixou levar nos planos da mãe, em roubar a herança do irmão Isaú, depois acontece situação semelhante com ele, a rivalidade pelo seu amor entre Lia e Raquel, Lia buscava o amor de Jacó, Raquel usava a beleza e o amor de Jacó, Lia se apoiou em Deus, Raquel se apoiou em Jacó.