Há zumbidos agudos e graves, e os sons podem ser uma reminiscência de um apito, uma cachoeira, uma panela de pressão, um motor ou grilos. 

Os sintomas do zumbido tendem a piorar quando expostos a ambientes ruidosos e geralmente são consequência da perda auditiva. 

Especialistas interpretam o zumbido como uma tentativa do sistema responsável pela audição de compensar a falta do estímulo que deveria estar presente.

O que significa zumbido no ouvido

O que significa zumbido no ouvido
O que significa zumbido no ouvido

O que significa zumbido no ouvido, o zumbido no ouvido é um ruído desconfortável que uma pessoa ouve sem a existência de uma fonte sonora real.

Abaixo, vamos nos aprofundar nas sete causas mais comuns responsáveis ​​​​por causar zumbido no ouvido:

Depressão:  A depressão causa zumbido alterando os níveis dos neurotransmissores responsáveis ​​pela audição. Estudos mostram que até 60% dos pacientes com zumbido crônico apresentam depressão e 45% ansiedade. 

Portanto, uma abordagem psicológica e psiquiátrica é muitas vezes essencial no tratamento do zumbido. O efeito pode ser o oposto, quando o zumbido desencadeia sintomas depressivos. Nesse caso, o tratamento precoce do problema auditivo ajuda a prevenir a depressão.

Doenças cardiovasculares: Doenças cardiovasculares, como hipertensão e arteriosclerose, prejudicam a irrigação dos vasos sanguíneos da orelha e, consequentemente, não chegam nutrientes suficientes às células da região, o que compensa a falta de estimulação auditiva com o zumbido.

Perda auditiva: A perda auditiva sinaliza que as células do ouvido estão danificadas. Isso pode acontecer, por exemplo, após a exposição a ruídos altos. 

Nesse caso, o sistema responsável pela audição tenta compensar a falta de estimulação auditiva com o zumbido. As pessoas que apresentam zumbido constante devem procurar um médico para tratamento adequado.

Diabetes: Um alto nível de insulina também pode causar perda auditiva, por prejudicar os estímulos elétricos das vias neurais, responsáveis ​​por enviar informações do ouvido ao cérebro. 

Ter o diabetes sob controle é um ponto chave para que o zumbido não se desenvolva.

Dor no pescoço: Dor na região do pescoço causada por tensão ou ansiedade, por exemplo, faz com que o corpo libere substâncias estimulantes para amenizar o problema. 

Essa ação, porém, também estimula as vias auditivas e provoca o zumbido. A fisioterapia e a massagem são formas eficientes de aliviar essas dores e reduzir o risco de zumbido.

Café: Por ser uma substância estimulante, a cafeína, presente no café e nos chás, pode aumentar a intensidade da atividade das células auditivas, prejudicando e desencadeando o zumbido.

Acúmulo de cera no ouvido: O acúmulo excessivo de cera nos ouvidos dificulta o funcionamento das células auditivas. Nesses casos, a remoção da cera e o tratamento da infecção na maioria dos casos acabam com o problema.

Tratamentos para zumbido

Não existe um único tratamento eficaz para todos os tipos de zumbido. Algumas medidas diminuem e eliminam o problema, outras reduzem os sintomas. O sucesso do tratamento dependerá das causas do zumbido e da resposta individual do paciente.

As terapias mais utilizadas são baseadas em medicamentos-vasodilatadores, anticonvulsivantes, ansiolíticos ou antidepressivos.

 O uso de aparelhos de amplificação sonora, estimulação magnética transcraniana e a chamada Terapia de Retreinamento do Zumbido (TRT), que consiste em acostumar o paciente a conviver com o som, também podem ser eficazes. Em casos de depressão, o apoio psicológico é recomendado.

Muitas das causas que causam a perda auditiva ou outros problemas que afetam o bom funcionamento do ouvido podem ser prevenidas através de hábitos saudáveis. A prevenção ainda é o melhor tratamento.

Zumbido  

Zumbido é o termo médico para “ouvir” ruídos nos ouvidos. Isso quando não há fonte de som externa.

O zumbido é frequentemente chamado de “zumbido nos ouvidos”. Mas eles também podem soar como bufar, rugir, zumbir, chiar, zunir, assobiar ou guinchar. Os sons que você ouve podem ser suaves ou altos. 

Você pode até pensar que está ouvindo ar escapando, água corrente, o interior de uma concha ou notas musicais.

Considerações

O zumbido é comum. Quase todo mundo experimenta uma forma leve de zumbido de vez em quando. Geralmente dura alguns minutos. No entanto, o zumbido constante ou recorrente é estressante e dificulta a concentração ou o sono.

O zumbido pode ser:

  • Subjetivo, ou seja, o som só pode ser ouvido pela pessoa
  • Objetivo, o que significa que o som é ouvido tanto pela pessoa afetada quanto pelo examinador (usando um estetoscópio próximo ao ouvido, cabeça ou pescoço da pessoa)

O que pode me ajudar a suportá-lo?

Exercícios de concentração e relaxamento: Esses exercícios podem ajudar a controlar grupos musculares e melhorar a circulação por todo o corpo. Em alguns pacientes esta melhora reduz a intensidade do zumbido.

Mascaramento: O toque é mais irritante em ambientes silenciosos. Um som concorrente constante, como um relógio ou estática de rádio (ruído branco), pode mascarar o toque e torná-lo menos perceptível. 

Dispositivos que geram ruído branco são vendidos. Eles emitem um som competitivo, mas agradável, que pode distrair o paciente e desviar sua atenção do ruído. Em alguns pacientes, o zumbido ainda desaparece por várias horas após o uso, mas esse não é o caso em todos os casos.

Aparelhos auditivos: Os mascaradores podem ser combinados com aparelhos auditivos. Se você tiver uma perda auditiva, o aparelho auditivo pode reduzir o toque enquanto você o usa e, às vezes, o elimina temporariamente. 

É importante não usar os fones de ouvido em volumes altos, pois isso pode piorar o toque. No entanto, é aconselhável selecionar seu aparelho auditivo com muito cuidado se seu primeiro objetivo for o alívio do zumbido.