Nossa mente é maravilhosa, mas às vezes tende a nos pregar peças. Isso acontece quando temos alguém em nossos pensamentos, a ponto de não conseguirmos nos concentrar em nosso trabalho e até mesmo não conseguir dormir por causa das mil e uma ideias que nos chegam sobre essa pessoa.

Quando essas coisas acontecem, nos perguntamos, por que penso tanto em uma pessoa?

E embora a maioria considere que se trata de amor, segundo a psicologia, os sentimentos que nos atraem a pensar em alguém nem sempre são positivos, pois a pessoa que você ama terá a mesma importância que aquela que você odeia.

Quando voce pensa demais em uma pessoa o que significa

Quando voce pensa demais em uma pessoa o que significa
Quando voce pensa demais em uma pessoa o que significa

Quando voce pensa demais em uma pessoa o que significa pensar constantemente em outra pessoa é uma das características típicas de se apaixonar.

Então pensar muito em alguém é amor? Pode ser, embora seja mais provável se apaixonar e também pode ser que você pense muito em alguém porque alguma outra emoção intensa despertou em você, como raiva, raiva…

Na vida, em muitas ocasiões, se atraímos o que queremos, é porque focamos nossos pensamentos e, portanto, nossas ações em cuidar, atrair, conservar tudo o que amamos ao nosso redor, desde uma pessoa, até um trabalho e até essa pessoa.

Roupa que tanto gostamos. Por esta razão, quando a colocamos, tomamos muito cuidado para que não manche, quebre ou algo aconteça com ela.

Talvez este último exemplo pareça muito banal, mas em grande escala e com coisas mais transcendentais fazemos o mesmo: cuidamos de tudo o que nos faz feliz, e isso atrai as pessoas. O mundo externo que temos nada mais é do que um reflexo do nosso mundo interno.

Temos um grande poder de atrair as coisas, pois se pensarmos sobre isso e visualizá-lo em nossa mente, direcionamos nossas ações para alcançar o que está tão claro em nossa mente.

Se você quer uma mudança para atrair a pessoa que você gosta, tente primeiro mudar aquela frase de “é impossível ele gostar de mim”. Valorize-se mais, arme-se de coragem e pense: “se eu quiser, posso conseguir o que me proponho a fazer”.

Napoleon Hill afirmou que ” nossos pensamentos dominantes tendem a magnetizar nosso cérebro e, por mecanismos que ninguém conhece bem, agem como ímãs que atraem para nós as forças, pessoas e circunstâncias da vida que se harmonizam com a natureza desses pensamentos”.

A lei da atração funciona?

De acordo com a lei da atração, tudo o que você pensa, acredita e visualiza habitualmente se torna a base de tudo que você pode experimentar em sua vida.

A razão? Muito simples: se o criamos em nossa mente, é muito mais fácil criá-lo fisicamente. O pensamento é a semente que plantamos e o objetivo é que dessa semente nasça uma planta com fruto.

Se pensarmos nessa pessoa, nossas ações – consciente e inconscientemente – terão como objetivo atraí-la. Vamos ver o que ele gosta, seu jeito de ser, etc., e vamos tentar adaptar nosso comportamento.

Primeiro, ver a compatibilidade entre os dois e, depois, encontrar uma forma de atraí-lo.

Evidências científicas sobre a lei da atração

Diferentes estudos mostraram que nosso cérebro é responsável por dar ordens a todo o nosso corpo.

Toda emoção que temos, seja ela resultado de uma ação, um pensamento, expectativas, etc., nosso cérebro secreta um conjunto de substâncias que fazem nosso corpo estar de acordo com nosso estado mental.

Na área médica foi possível detectar com inúmeros estudos que existe uma relação entre nosso pensamento e nossa saúde física e mental.

Foi visto, portanto, que nossos pensamentos negativos afetam negativamente nossa saúde com maiores distúrbios cardíacos, hipertensão, problemas de pele, problemas digestivos, enxaquecas, ansiedade.

Em vez disso, pensamentos positivos se refletem em nossa saúde com maiores chances de superar uma doença ou não cair nela, etc.

Um exemplo claro de tudo isso é a relação entre nossos pensamentos e emoções e o sistema endócrino: se estamos muito estressados, nosso cérebro secreta as chamadas catecolaminas.

A liberação desses hormônios leva a uma supressão do sistema imunológico, favorecendo o aparecimento de doenças .

Da mesma forma, estados de calma, tranquilidade, positivismo e entusiasmo favorecem o fortalecimento do sistema imunológico, pois os hormônios que são secretados e os neurotransmissores o estimulam.

Da mesma forma, a lei da atração funciona assim: se nossos pensamentos são positivos, todo o nosso corpo está pronto para algo positivo, ao contrário, se são negativos, nosso corpo se retrai para se proteger e não agir.

Então , se você pensa muito em uma pessoa, você a atrai? Vai depender de como você pensa sobre a pessoa.

Além disso, você não a atrai pelo fato de pensar nela, mas pelo fato de que se imaginar perto dessa pessoa produz em você uma sensação de bem-estar que o convida a se aproximar dela, ou seja, carregar ações reais que contribuam para que você possa estar com essa pessoa.

Portanto, embora pensar predisponha, apenas pensar não é suficiente.

Se você pensa muito em alguém, esse alguém pensa em você? Pelo simples ato de pensar, não podemos mudar o pensamento de outra pessoa.

Mas, como comentamos, o pensamento influencia o comportamento e nosso comportamento com os outros influencia nosso relacionamento com eles.

Se você sonha com uma pessoa, é porque ela pensa em você? Nossos sonhos não dependem dos pensamentos de outras pessoas, mas de nossas experiências e memórias. Portanto, a resposta é não.

Assim como aquela crença que diz que quando alguém pensa em você você não consegue dormir.

Como quebrar o ciclo de pensar demais

Serani criou um processo de cinco etapas para escapar do ciclo interminável de pensar demais.

Primeiro passo: O primeiro passo é estar atento quando você está pensando demais, disse ele. Às vezes, outras pessoas vão apontar para você e, embora possa ser irritante ouvir, é útil aprender a identificá-lo dentro de você.

Para ela, Serani disse que as palmas das mãos ficam suadas e seu coração começa a bater mais rápido quando ela pensa demais.

Passo Dois: O próximo passo é dar um passo atrás e ter alguma perspectiva sobre o que você está pensando demais e se você tem algum controle sobre isso. “Estou pensando em algo que está além do meu controle ou é algo que posso controlar?”, disse Serani.

Você pode não ser capaz de controlar o tráfego, mas pode controlar a próxima rota que você faz, o GPS que você usa para navegar em engarrafamentos, a bebida em seu porta-copos e como você reage à situação.

Se é algo que você não pode controlar, você pode dizer a si mesmo: “Eu realmente tenho que priorizar o que tenho a capacidade de mudar” e isso está além da minha capacidade de mudar, disse Serani.

Terceiro passo: Se a situação estiver sob seu controle, o terceiro passo é estar no momento e isolar o problema singular.

Passo Quatro: Uma vez que você identificou um problema, o próximo passo é definir um limite de tempo em quanto tempo você vai gastar para resolver o problema. É importante não ficar atolado no problema repetidamente, o que não é produtivo para resolver o problema em questão, disse Serani.

Por exemplo, se você estiver preso no trânsito e atrasado para um compromisso, um solucionador de problemas pode procurar rotas alternativas, ligar para a pessoa com quem está se encontrando para informar que está atrasado ou respirar fundo enquanto ouve para o rádio.

Serani disse que alguém deixado para se debruçar sobre o problema pode pensar: “Não acredito que estou preso no trânsito” ou “Não acredito que vou me atrasar para este compromisso; isso não parece bom para mim profissionalmente.”

Passo Cinco: O passo final é reconhecer os pequenos passos que você deu para resolver o seu problema, mesmo que não tenha conseguido resolvê-lo completamente. “Você vai comemorar o fato de ter enfrentado uma situação, reconhecido que estava pensando demais e tentado resolver o problema”, disse Serani.

Muitas pessoas podem não ter sucesso nas primeiras vezes que tentam esse método, e ela enfatizou que é normal se sentir assim.