Recentemente, em uma entrevista na televisão, um ministro religioso disse sobre a religião verdadeira: “Eu insisto que uma religião é verdadeira se ela torna aqueles que levam suas vidas por ela melhor.” Mesmo reconhecendo que, de fato, aqueles que praticam a verdadeira fé são pessoas melhores.

É em si uma evidência do apoio de Deus que uma religião torna seus adeptos melhores? Esse é o único critério para determinar se é verdade?Todos nós valorizamos a liberdade de tomar decisões, como a qual religião pertencer. No entanto, desfrutar da liberdade de escolha não garante que escolheremos bem. 

Por exemplo, há pessoas que decidem uma confissão com base no número de fiéis que tem, na sua riqueza, na pompa das suas cerimónias ou nos laços familiares. Nenhum desses fatores é decisivo para determinar se uma religião é verdadeira ou não. 

Se deus é por nós quem será contra nós versículo

Se deus é por nós quem será contra nós versículo
Se deus é por nós quem será contra nós versículo

Quase qualquer lista de versículos bíblicos sobre Se deus é por nós quem será contra nós encorajadores incluirá Romanos 8:31: “O que, então, diremos em resposta a essas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós?

Mas o que são “essas coisas”? O versículo realmente diz que nós, como crentes, nunca enfrentaremos oposição ou fracasso? Qualquer experiência como cristão demonstrará amplamente que muitas pessoas podem estar “contra nós”; 

A perseguição é um problema muito real para os cristãos em todo o mundo. Então, o que essa passagem realmente significa?

Qual é o contexto em Romanos?

Romanos é uma carta que foi escrita pelo apóstolo Paulo aos crentes em Roma por volta de 56-58 dC. C., de acordo com Got Questions. Paulo nunca havia visitado Roma na época, mas o cristianismo parece estar presente lá há vários anos. A igreja era bem fundada e bem conhecida.

Embora a intensa perseguição sob o imperador Nero ainda não tivesse começado, apenas alguns anos após a escrita da carta de Paulo, os cristãos seriam culpados pelo incêndio de Roma. O sentimento contra eles já era um problema. 

A maioria dos primeiros cristãos romanos eram descendentes de judeus e teriam retornado lentamente depois que os judeus foram exilados de Roma em 49 d.C. sob o imperador Cláudio, um decreto que não expirou até sua morte em 54 d.C. Kenneth Berding.

Assim, fora de contexto, a afirmação de que “se Deus é por nós, quem será contra nós?” teria parecido tão confuso para os leitores originais. Eles poderiam ter respondido: “Toda Roma está contra nós!” Felizmente, para eles e para os leitores de hoje, há contexto.

“Se Deus é por nós” O contexto desta passagem

Romanos 8 começa com a declaração: “Portanto, nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus” (Romanos 8:1). Paulo continua a expor a vida no Espírito. 

“Mas, se Cristo está em vocês, ainda que o seu corpo esteja sujeito à morte por causa do pecado, o Espírito vivifica por causa da justiça” (Romanos 8:10). Ele explica que somos filhos de Deus.

Então ele vai para o sofrimento. “Ora, se somos filhos, somos herdeiros, herdeiros de Deus e colhereiros de Cristo, se de fato participamos de seus sofrimentos, para que também participemos de sua glória” (Romanos 8:17 [19459003]). 

Paulo explica que nossos sofrimentos presentes empalidecem em comparação com a glória por vir. O Espírito estará conosco para nos ajudar, e Deus faz todas as coisas para o bem. O cristão deve ser conformado à imagem do Filho: chamado, justificado e glorificado (Romanos 8:29-30).

É aqui que aparece o versículo em questão. “Então, o que diremos em resposta a essas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós? (Romanos 8:31).

Paulo continua suas perguntas retóricas depois disso. “Quem acusará aqueles a quem Deus escolheu? É Deus quem justifica” (Romanos 8:33).

“Quem nos separará do amor de Cristo? … Porque estou convencido de que nem a morte nem a vida, nem os anjos nem os demônios.

Nem o presente nem o futuro, nem qualquer poder, nem altura nem profundidade, nem qualquer outra coisa em toda a criação poderá nos separar do amor de Deus que está em Cristo Jesus nosso Senhor” (Romanos 8:35, 38-39).

“Quem será contra nós?” O que Romanos 8:31 realmente significa

No contexto, então, o versículo é precedido pela declaração de Paulo de que Deus tem bons propósitos para o cristão. 

Segue-se uma declaração de que ninguém pode apresentar queixa contra o cristão, pois é Deus quem o justifica. Paulo a completa proclamando que nada pode nos separar do amor de Deus.

Portanto, no contexto, a pergunta de Paulo de “quem pode ser contra nós” parece perguntar quem pode condenar o cristão. A resposta é ninguém. Deus nos escolheu como seus filhos e herdeiros. 

Deus é o juiz. Se Ele é por nós, ninguém pode nos condenar. E, como Paulo demonstra em Romanos 8:35-39, nada pode nos separar desse amor. Portanto, estamos seguros em Cristo.

O que esse versículo não significa?

Como discutido acima, afirmar que ninguém pode ser contra o cristão é bobagem. As forças humanas e espirituais lutam contra nós. Enfrentaremos oposição, e muitos versículos nos advertem contra isso. 

Por exemplo, 2 Timóteo 3:12 afirma: “De fato, todos os que querem viver uma vida santa em Cristo Jesus serão perseguidos.”

O versículo também não diz que nada pode derrotar um cristão. Os cristãos ainda podem perder: esportes, empregos, até mesmo suas vidas. 

Perder não é uma questão de “não ter fé suficiente” ou “não confiar em Deus o suficiente”. Este versículo não afirma que tudo vai dar certo nesta vida se tivermos fé.

Em vez disso, em um tribunal cósmico, nenhuma evidência pode ser apresentada contra nós. Deus está no processo de nos santificar. Aqueles que confiam em Cristo não podem mais ser condenados.